Buscar

Guia Alimentar para endometriose

Endometriose: um guia pra entender mais sobre o papel da Nutrição e Fitoterapia Integrativas nesse assunto

A endometriose é uma doença hormônio-dependente, caracterizada por uma inflamação crônica que causa muita dor pélvica e impacta bem estar físico, mental, social e afeta muitas mulheres em idade fértil.

É uma das doenças ginecológicas mais complexas e de difícil controle, que curva com o maior impacto na qualidade de vida das mulheres.

A doença acontece quando fragmentos do tecido endometrial (camada de células que reveste a parede interna do útero) encontra-se FORA da cavidade uterina. Focos da endometriose podem estar localizado em qualquer parte do corpo. Focos da endometriose podem estar localizados em qualquer parte do corpo, sendo mais comuns nos ovários, trompas, ligamentos da pelve, intestino, bexiga e cicatrizes cirúrgicas.

Muitos gases abdominais e outros problemas intestinais, como constipação, diarreia, dor no intestino e sintomas similares como os da síndrome do intestino irritável, dor na relação sexual e no período menstrual, náuseas e vômitos, retenção ou urgência urinária, alergias e outras doenças relacionadas à imunidade também são relacionadas.

Sim, é uma doença de caráter inflamatório e a dieta é super importante para prevenir e controlar a evolução da doença.

A endometriose também pode, à médio/longo prazo, levar à desordens menstruais e infertilidade.

O diagnóstico é feito pelo médico e o tratamento geralmente envolve terapias como acupuntura, massagens, exercícios, tratamento hormonal quando necessário, medicação para dor quando necessário, e claro, mudança na dieta e estilo de vida!

A medicina convencional oferece basicamente 2 soluções: cirurgia ou pílulas anticoncepcionais de forma continua, sem pausa. A mulher não pode menstruar, uma vez que a doença e nutrida a cada menstruação. A decisão de tratar a endometriose sem uso de hormônio não é simples e deve ser muito pessoal e segura da parte da mulher. Em casos extremos e muito específicos, o uso do anticoncepcional de forma continua pode ser necessário, e não deve ser visto como um monstro! O problema (assim como o tratamento do SOP) é o uso indiscriminado do hormônio na pratica clínica médica.

Já com a cirurgia de remoção a maior parte dos casos tem sucesso quanto ao alivio da dor e melhora dos sintomas por 2 anos mas, em alguns casos, os sintomas podem voltar após esse period.

Há ainda muitos dados conflitantes na literatura, mas sabemos que o papel de alguns nutrientes no aparecimento e controle do processo inflamatório, e no bem estar geral do ser humano, e por isso, não podemos esquecer do papel da dieta nisso tudo! Por isso, esse guia pode esclarecer muita coisa e emponderar a mulher a entender mais como a nutrição DEVE fazer parte do tratamento sim, com ou sem o uso de hormônios.

[restrict]

Se você tem endometrioses ou conhece alguém que tenha, certamente esse post essas dicas podem te ajudar muito,

Pra começar, precisamos parar um pouco em meio à correria do dia a dia e olhar a questão de uma forma mais amorosa, para que, assim, começarmos a saná-la.

Entenda que uma mudança real na alimentação, especialmente se atentando ao consume de sal, de carne vermelha, diminuir bem o consume de gluten (se ainda fizer consume) e de qualquer produto alimenticio altamente processado, farinha branca, leite e seus derivados e AÇÚCAR, tudo isso vai ajudar demais a compensar o processo inflamatório que o corpo vem sofrendo. Por isso que sempre reforçamos que apenas tomando a medicação (no caso, o anticoncepcional de uso continuo) que geralmente se é prescrita no tratamento não resolve o problema se você não ajudar seu próprio corpo.

E nao significa que seja uma dieta LOW CARB não. Há pessoas que respondem bem à essa estratégia, outras não tanto, por isso, individualizar o tratamento com seu nutricionista é fundamental. Para isso, é importante ter exames atualizados, especialmente no que tange perfil de tireóide e de glicemia/insulina e marcadores inflamatorios (como PCR e fibrinogênio). Imagina se a paciente tiver uma Resistencia à insulina e não souber? Somente isso corrigido (as vezes precisa de medicação junto com mudanças dietéticas e suporte de nutrientes) a perda de peso e/ou gordura corporal (que muitas vezes é necessária) o processo inflamatório diminui e o corpo trabalha de maneira melhor, com mais energia e disposição. Cardapio rico em antioxidantes e que suportem todo o processo de detoxificação é fundamental. Não adianta, porém, tomar suplementos de antioxidantes e carregar o corpo com mais toxinas oriundos de metais toxicos (como usar panelas de aluminio e usar desodorantes com aluminio, por exemplo), agrotóxicos (já pensou em mudar pra orgânicos) e intoxicar seu corpo com pensamentos e atitudes negativas. Faz sentido pra você?

O que parece ser mais efetivo nos casos de endometriose?

Além da mudança dietética (que conforme citei, já são algumas mudanças bem significaticas) e uso de suplementos de forma consciente (fitoterapicos, antioxidants, nutrientes que dao suporte às fases de detoxificação de nosso corpo, etc), recomendo fortemente a pratica do yoga e danças de todo tipo. Independente de qual for a pratica preferida, atividade fisica regular é indispensavel sempre, em todas as fases de vida da mulher.

Respeitar o ritmo circadiano (dormir a noite, estar desperta para as atividades do dia, por exemplo), contribui muito para o equilibrio hormonal, uma vez que nosso sistema endocrino segue esse ciclo e varios hormonios tem hora certa pra funcionar.

Acupuntura e práticas meditativas são maravilhosas nesses casos, além de reforçar sempre o contato com a natureza: olhar pro sol, pra lua, pisar na grama, na terra, na areia, tudo isso é extremamente curativo.

Quais as características de uma dieta antiinflamatória?

  1. Ao redor de 4 xicaras de chá de legumes, preferencialmente organicos (brocolis, couve flor, couve de Bruxelas, folhas verdes escuras como espinafre, couve, etc.)

  2. Punhadão de castanhas/oleaginosas por dia – amendoim, amendoas, nozes, nox pecã, avelãs, etc

  3. Leguminosas (caso não tenha intolerância) que são excelentes fonts de proteínas vegetais, como feijão, lentilha, grão de bico!

  4. Carnes magras como peixes e frango, caso você as coma.

Não se esqueça do aporte de fibras!

Consumir fibras o suficiente na dieta é importantissimo pra intestine e pra reduzir a inflamação e garantir mais saciedade e menor busca por alimentos viciantes, como açúcar.

Geralmente recomendo de 1-2 colheres de sopa de semente de chia ou linhaça (de boa procedência) adicionado no shake, smoothie, salada ou até na comida mesmo.

Não adianta tacar fibra, comer mais alimentos antiinflamatórios, e continuar jogando lixo pra dentro do corpo!

Atente-se aos gatilhos inflaamtorios mais comuns na dieta:

Leite e seus derivados

Gluten e todos os alimentos altamente processados contendo gluten

Milho

Açúcares simples

Carne vermelha e café tem sido associado com piora da inflamação em casos de endometrioses (ainda faltam mais dados, mas onde há fumaça pode haver fogo, e eu fortemente recomendo ás minhas clients com diagnostic de endometrioses evitarem ao máximo o consume, especialmente se vieram consumindo demais esses dois no cardapio há anos)

Ah não! Não mexa no meu cafezinho!

Conforme falei, a cafeina pode piorar alguns sintomas da endometriose em algumas mulheres (como dores abdominais e diarréia). Então, se você toma café todos os dias, tente (ao menos tente) diminuir o consume ou evitar mesmo por 2 meses. Chá verde, chá branco, mate e até leite (vegetal) com cacau podem ser alternativas muito boas (tem cafeina sim, mas bem menor do que a do café) e também te dar aquele pique que o café dá e que a gente tanto ama.

ALTERNATIVAS DE BEBIDAS AO CAFEZINHO

Golden milk

A receita, que é tradicional da ayurveda, tem ação anti-inflamatória e antioxidante e é rico em psicobióticos, que são probióticos que diminuem a ansiedade. Pode ser consumido manhã para dar um boost de energia, já que a bebida também é termogênica.

Aprenda a receita:

Ingredientes para uma xícara grande da bebida 1 xícara de leite de amêndoas (ou arroz, soja…) 2 colheres de café de cúrcuma (açafrão) 1 colher de café rasa de pimenta preta moída 1 colher de chá de mel (se sua dieta permitir) ou açúcar orgânico ou xilitol (orgânico, por favor) ou sem nada mesmo

(algumas clientes que prescrevo whey ou proteina vegana em pó na dieta, peço pra agregar um pouco na bebida também para aumentar aporte proteico da refeição)

Preparo: Aqueça o leite até o ponto que você queira, adicione os ingredientes e mexa bem.

Achocolatado vegano functional

Ingredientes

  1. 1 xícara de leite de castanhas caseiro (pode ser de castanha-do-Pará, castanha-de-caju ou de amêndoas) – tem receita do preparo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=pq7jiu-xRf0

  2. 1 colher (sopa) cheia de cacau em pó

  3. 1 colher de café rasa de açúcar do coco ou stévia gotas a gosto ou xilitol orgânico

  4. 1 cardamomo

  5. 1 canela em pau

  6. 1 pitada de canela em pó

  7. 2 colheres (sopa) de proteína vegetal sabor chocolate (opcional)

  8. 1 colher de sobremesa de biomassa de banana verde à temperatura ambiente (se precisar fazer a reconstituição, apenas coloque em uma panela com pouco de água e mexa bem)

Modo de preparo:

Bata rapidamente o leite vegetal com a biomassa. Leve a mistura para esquentar e adicione a semente de cardamomo e um pedaço de canela em pau. Quando começar a ferver, adicione o restante dos ingredientes e mexa bem até dissolver. Com a adição da proteína, fica ainda mais cremoso!

Invista em orgânicos!

O Brasil é um dos países que mais utilizam agrotóxicos na produção agrícola.

Com 107 empresas aptas a registrar produtos, o Brasil é o sexto país no ranking mundial de importação de agrotóxicos para destinação nas lavouras. Há produtos banidos da Europa e até da China, que vêm sendo usados indiscriminadamente no país, em especial nos produtos destinados ao mercado interno, visto existir barreiras aos produtos contaminados pelos produtos no mercado internacional.

Lembre-se que toxinas ambientais, como os agrotóxicos, impactam diretamente na saúde e tem GRANDE impacto na endometriose.

Procure feiras de organicos em seu estado/cidade e faça a festa!

Aqui algumas dicas em SP: http://aao.org.br/aao/onde-encontrar-organicos.php

(E seja bem vinda/o se voce tem dica de onde encontrar em sua cidade/estado! Nos escreva que compartilharemos sua dica com todos os assinantes).

Dê seu melhor pra evitar toxinas em sua dieta:

  1. Evite usar plasticos pra embalar alimentos;

  2. Nao esquente sua marmite de plastico no microondas e também armazene sua comida no plastic APENAS QUANDO ESTIVER BEM FRIA (demos várias dicas no projeto PLANEJAMENTO ALIMENTAR, para adquirir, clique aqui

  3. Invista sempre em orgânicos, ou ao menos, evite consumir os mais ricos em agrotóxicos (saiba mais: http://revista.rebia.org.br/2016/88/850-lista-da-anvisa-dos-alimentos-com-maior-nivel-de-contaminacao);

  4. Evite usar garrafas plasticas em seu dia a dia. Além do impacto do plastico em nossa saúde, outro problema é que grande parte dessas garrafas acabam intoxicando a vida marinha, causando enchentes ou se adicionando ao montante das pilhas de lixo em aterros sanitários. Por isso é importante fazer o descarte de garrafa de água apropriado e garantir um destino sustentável para ela. Sempre carrego minha água por aí (e também oriento meus clientes) a usarem garrafas térmicas (que aguentam liquido quente ou frio). Vale a pena investir mesmo em uma!

Como anda o açúcar em seu sangue?

Os guidelines já reforçam que é preciso manter a glicemia/insulina controladas pra manter a inflamação sob controle. Estar em desbalanço (por isso a importância de ter um correto diagnóstico medico) pode aumentar sua porcentagem de gordura, aumentando a predominância estrogênica e piorando ainda mais a inflamação. Perder peso/gordura de maneira consciente e bem orientada ajudará a reduzir o processo inflamatório e ajudar no controle da endometriose (e de todas as doenças de fundo inflamatório, na verdade).

E quanto aos fitoterapicos e suplementos?

Juntamente à dieta antiinflamatória e ajustada na carga glicemica, pode ser necessário sim a suplementação de alguns nutrientes/ativos para potencializar ainda mais a ação anti-inflamatória e de destoxificação:

  1. Curcuma (excelente antioxidante e antiinflamatório)

  2. Bromelina (é uma enzima do abacaxi)

  3. Quercetina (encontrada na maçã e cebola, principalmente, excelente antiinflamatorio, antialérgico e ajuda a dar suporte às mitocondrias pra nossa geração de energia)

  4. Ômega-3 (combinação de EPA e DHA)

  5. N-acetil-cisteina (chamado também de NAC, é um poderoso antioxidante e alguns trabalhos ja mostraram melhora da dor com sua suplementação)

  6. Pinus pinaster (antioxidante fantástico)

  7. Indol -3-carbinol (presente nas brassicas, como o brocolis, por exemplo), é excelente pra dar suporte ás vias de destoxificação.

  8. Gengibre: potente antioxidante e ajuda a controlar dores.

  9. Unha de gato: extrato e na forma de tintura, tenho ótimos resultados! Saiba mais: http://saude.ig.com.br/bemestar/saudealternativa/fitoterapico-e-alternativa-promissora-para-tratar-endometriose/n1596822353912.html

E saindo fora da nossa área, a melatonina – cuja prescrição no Brasil é MÉDICA – tem se mostrado interessante em alguns casos. A dosage de 10mg de melatonina ao dia parece reduzir dor pélvica (incluindo a dor sexual). Estudos em animais, a melatonina fez regredir o tecido da endometriose. Geralmente as prescrições começam em doses mais baixas (1-3mg/dia, e conforme a necessidade vai-se aumentando). Lembrando que qualquer medicação pode ter efeitos adversos e, por isso, tem que ter prescrição médica pra tomar.

Agora você já sabe muito a respeito da nutrição no aparecimento e tratamento da endometriose. Seja tomando medicamento ou não, o importante é ter consciência do papel da nutrição e buscar ajuda personalizada com um nutricionista pós graduado, e ser cada vez mais curioso pra obter cada mais informação a respeito.

Conte comigo.

Coma algo saudável por mim!

[/restrict]

#endometriose #nutriçãofuncional

9 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Sopa de abobrinha, inhame e couve

Ingredientes: - 2 unidades médias de abobrinha - 1 inhame médio ou 2 pequenos cozidos e sem casca - 1 colher de sob de azeite de oliva - 3 folhas grandes de couve sem o talo couve - 1 talo de alho por

ALMÔNDEGAS RECHEADAS E EMPANADAS COM SEMENTES⁣

⁣ Ingredientes massa:⁣ ⁣500g de carne moída de patinho⁣ 1 cebola pequena bem picada⁣ 3 dentes de alho amassados⁣ 1 ovo⁣ 3 colheres de sopa de farelo de aveia⁣ 2 colheres de sopa de azeite⁣ 2 colheres